Capital
Cultura

Unidos de Padre Miguel rouba a cena na Série Ouro do carnaval do Rio

A escola de samba Unidos de Padre Miguel roubou a cena nos desfiles da Série Ouro, ocorrido na sexta-feira (9) e neste sábado (10)

Compartilhe:
11 de fevereiro de 2024
Matheus Gagliano
Unidos de Padre Miguel rouba a cena na Série Ouro do carnaval do Rio
Unidos de Padre Miguel trouxe elementos religiosos para o carnaval do Rio, na homenagem à Padre Cícero. Foto; Prefeitura/Divulgação

A escola de samba Unidos de Padre Miguel roubou a cena nos desfiles da Série Ouro, ocorrido na sexta-feira (9) e neste sábado (10). Com uma apresentação de primeira linha, a agremiação se credencia como principal favorita ao título e a uma vaga no tão sonhado Grupo Especial de 2025, ao lado das gigantes do carnaval do Rio.

Isso porque a escola, que homenageou o Padre Cícero, com o enredo “O Redentor do Sertão”, veio com alegorias muito bem alinhadas e fantasias bem acabadas, além da harmonia do desfile que encantou o público. A escola deixou o Sambódromo da capital fluminense aos gritos de “É campeã”.

Exaltando um dos maiores símbolos de identificação e devoção do povo nordestino, a escola homenageia o padre, no ano em que ele completaria 180 anos. O enredo apresenta uma narrativa a partir da visão do imaginário popular sobre a vida do religioso, com grande influência da literatura de cordel.

Cícero Romão Batista veio ao mundo no ano de 1844, na cidade do Crato, no sul do Ceará. Mesmo muitos anos depois, o Nordeste jamais esqueceria esse nome. Filho de um pequeno comerciante, Ciço, como era conhecido, teve uma infância simples, mas contam os relatos sobre a sua existência que, desde cedo, o menino possuía um dom e, com certa frequência, tinha visões e revelações sobre o futuro.

Os milagres que o padre realizou durante sua vida terrena o tornaram uma grande personalidade, conhecida mundialmente, e uma espécie de líder místico, reunindo milhares de fiéis que peregrinavam em sua devoção. Até hoje, o Padre Cícero é cultuado como santo no Nordeste, embora não o seja oficialmente reconhecido pelo Vaticano.

Carnaval do Rio trouxe estreantes para avenida

Além da escola da zona oeste, quem também chamou a atenção foi a Império Serrano, que encerrou os desfiles já neste domingo pela manhã. O objetivo da tradicional agremiação de Madureira, campeã do Grupo Especial de 1982, é retornar ao grupo de elite. Porém, houve problemas no acabamento de algunas fantasias, o que pode prejudicar o cômputo geral na escola.

A Império da Tijuca também teve problemas: a rainha de bateria ficou sem parte da fantasia que não chegou e teve de desfilar descalça, o que pode comprometer a harmonia dessa agremiação também.

Uma outra escola que fez bonito, foi a União de Maricá, que trouxe uma comissão de frente que encantou o público pela bela evolução executada. Essa comissão reuniu diversos passistas que fizeram um verdadeiro show de dança em cima da alegoria que era um pandeiro.

Neste domingo à noite, começam os desfiles do Grupo Especial, a partir das 22 horas, com a apresentação do Porto da Pedra, que faz seu retorno à elite, seguida da Beija Flor de Nilópolis. A terceira escola a desfilar, será Salgueiro.

Na sequência, vem a Grande Rio e a Unidos da Tijuca. A atual campeão, a Imperatriz Leopoldinense, encerra o primeiro dia. Na segunda-feira (12), mais seis escolas entram na avenida.